As batidas do coração são coordenadas por um complexo sistema elétrico que garante sua função rítmica e eficaz. 

Quando há uma interrupção ou anormalidade nesse sistema, pode resultar em arritmias cardíacas, que são alterações no ritmo do coração. Algumas arritmias são benignas e praticamente inofensivas, enquanto outras podem ter consequências mais sérias. 

Conteúdo do artigo

O que a arritmia cardíaca pode causar?

A arritmia pode surgir de diversas origens, incluindo doenças cardíacas, pressão alta, diabetes, fumo, uso excessivo de álcool ou cafeína, determinados medicamentos e cirurgias cardíacas, como a cirurgia de ablação

O entendimento adequado sobre as potenciais consequências da arritmia é crucial para uma abordagem terapêutica eficaz e a prevenção de complicações.

arritmia

Riscos para o coração

A arritmia, dependendo de sua natureza e duração, pode causar uma variedade de problemas relacionados ao coração. Um dos riscos mais significativos é a insuficiência cardíaca. 

Em situações onde o coração não consegue bombear sangue suficiente para suprir as necessidades do corpo, pode ocorrer o acúmulo de líquido nos pulmões, tornozelos ou pernas, fadiga e falta de ar. 

A arritmia persistente também pode levar ao enfraquecimento do músculo cardíaco, comprometendo ainda mais sua eficiência.

Acidente vascular cerebral (AVC) e embolia

A fibrilação atrial, uma forma comum de arritmia cardíaca, pode causar coágulos sanguíneos dentro das câmaras do coração. 

Esses coágulos podem se deslocar, viajar para o cérebro e causar um AVC. Mesmo arritmias que não causam sintomas perceptíveis podem aumentar o risco de AVC. 

A embolia, que é a obstrução de um vaso sanguíneo por um coágulo, também é uma consequência possível, e pode afetar outros órgãos além do cérebro.

Complicações de tratamentos e procedimentos médicos

Ao buscar tratamento para arritmias, certos procedimentos podem apresentar seus próprios riscos. 

A cirurgia de ablação, por exemplo, é um procedimento que utiliza energia para criar pequenas cicatrizes no coração e prevenir sinais elétricos anormais.

Embora seja eficaz em muitos casos, existem riscos associados, como danos aos vasos sanguíneos ou ao coração, complicações com a anestesia e reações adversas a medicamentos.

Sintomas debilitantes e qualidade de vida

Mesmo que uma arritmia não represente um risco imediato à vida, ela pode ter um impacto significativo na qualidade de vida. Palpitações, tonturas, desmaios e fadiga crônica podem afetar a capacidade de uma pessoa realizar atividades diárias, trabalhar ou desfrutar de recreação. 

Muitas vezes, o estigma associado a ter uma condição cardíaca também pode levar a sentimentos de ansiedade ou depressão.

Conhecendo os riscos potenciais associados às arritmias cardíacas, fica evidente a importância de diagnóstico, monitoramento e tratamento adequados. 

Os avanços na medicina continuam a oferecer novas abordagens e soluções para gerenciar e tratar essas condições, permitindo que muitos pacientes com arritmias levem vidas plenas e ativas. 

Comunicar-se abertamente com profissionais de saúde e entender completamente sua condição são passos cruciais no caminho para o bem-estar.