Dada a complexidade e periculosidade que envolve o assunto, hoje podemos contar vários tipos de tratamento para dependentes químicos. 

A superação de uma dependência química requer uma variedade de esforços para garantir que a terapia seja focada no perfil e nas necessidades de cada pessoa.

Também é importante identificar os gatilhos que levam a esse comportamento e propor soluções eficazes. 

Neste contexto mostraremos quais são os métodos de tratamentos mais eficazes para dependência química.

Entender a importância do tratamento é essencial para agir de maneira específica em cada perfil e necessidade, pois, cada caso é um caso.

Falando em tratamento, conheça a clínica chamada tratamento alcool e drogas, que pode te ajudar com clínica de recuperação de drogas.

Conheça os tipos de tratamento para dependência química mais indicados

Listamos os tipos de tratamentos para dependência química mais indicados:

  • Desintoxicação

A desintoxicação é um passo importante para a restauração completa das funções metabólicas afetadas pela toxicidade. 

Esse processo também afeta a estabilidade química, pois a recuperação só é efetiva quando novos hábitos saudáveis ​​são estabelecidos.

A desintoxicação é o início de todos os tipos de tratamento para a toxicodependência. 

Dada a ligação entre a depressão e o uso de medicamentos, as terapias combinadas são projetadas para reduzir os danos fisiológicos e diminuir os sintomas que podem gerar tais complicações.

A desintoxicação pode durar entre 20 a 45 dias, e é uma das etapas mais importantes do tratamento. 

A ajuda e apoio de amigos e familiares é de extrema importância para que os indivíduos alcancem a força psicológica que continua a atingir seu objetivo. 

Vale ressaltar que o sucesso da desintoxicação é crucial na preparação do paciente para a próxima etapa do tratamento.

  • Psicoterapia

A intervenção psicoterapêutica consiste em um processo que sugere a conexão de terapias psicológicas de suporte com medicamentos. 

Existem vários níveis, e cada um é determinado pela percepção da profissão sobre as necessidades básicas do paciente.

O ideal é que essas intervenções terapêuticas combinadas devem ser realizadas em locais específicos, como clínicas de reabilitação, pois possuem equipes capacitadas para atender estes pacientes.

Essas equipes são compostas por médicos clínicos, psiquiatras, psicólogos, assistentes sociais e outros.

Trabalhar em equipe ajuda a comunicar ideias para entender melhor a necessidade de uma possível adaptação às terapias escolhidas e trabalhar com mais eficiência.

  • Medicamentos

Os medicamentos devem ser cuidadosamente selecionados e gerenciados por equipes especializadas. 

Esse cuidado é muito importante para que a droga não abuse ou prejudique a saúde da pessoa.

Devido à fisiologia dinâmica dos narcóticos de um organismo já intoxicado, requer a substituição de substâncias para evitar a síndrome de abstinência.

Muitas vezes é necessário prescrever analgésicos para diminuir dores de cabeça e dores no corpo que ocorrem durante a desintoxicação.

  • Internação

Clínicas especializadas em recuperação de dependentes químicos expandiram seus tratamentos para ajudar aqueles que não conseguem superar esse conflito sozinhos. 

Nesse contexto, os métodos terapêuticos são aplicados na perspectiva biopsicossocial e têm como foco o indivíduo e suas principais necessidades.

Portanto, a internação é essencial para que o paciente tenha todo o suporte necessário para superar esse problema.

Um dos objetivos mais importantes da hospitalização é o ambiente e as pessoas que usam drogas.

Um bom exemplo foi em São Paulo, que contrataram uma clínica de recuperação gratuita em Sorocaba e pode te ajudar.

Qual a duração dos tratamentos para dependentes químicos?

A duração do tratamento pode variar de acordo com o grau de dependência, o nível de toxicidade e o perfil psicológico do paciente.

Às vezes, a equipe pode avaliar e identificar algum problema psicológico ou transtorno em algum paciente, e isso requer outros cuidados.

Nessas circunstâncias, é melhor combinar terapias e conversar com os familiares sobre os benefícios.

Todo paciente deve estar motivado e focado na condição que afeta positivamente o resultado de todos os tipos de tratamento.